Tudo é Obama

Que o design da web não precisa ser (ou para ser mais exata, não tem de ser) como o do papel todo mundo entende. Que o trabalho digital é feito sob uma prancheta com fundo branco também todo mundo sabe.

Mas é preciso apreender que assim as chamadas da rede se tornam incômodas. A redundância como variação de um tema ou como forma de reiterar a informação é bem-vinda. O que não vale – e que é lugar-comum – é a desestruturação estética, levada ao nível máximo da tautologia, e o resultado é desinformação.

Como os exemplos abaixo pinçados da Time: Obama para todo lado no site da revista americana – um caso clássico de comunicação redundante e não dialógica (GIANNETTI: 2006, p. 61): (…) passa a ser puro ruído, visto que um não pode assimilar nada do outro. Já a capa da versão impressa destaca foto e título. Only.

aviso aos resistentes a comparar digital x on-line: não existe outro modo (ainda) de estudar a composição da página noticiosa nos sites jornalísticos – o preceito é integralmente o mesmo do design analógico. A não ser que haja resposta à pergunta: qual a origem do design de web?

A pensar,

LM



Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: