Archive for janeiro \31\UTC 2009|Monthly archive page

Typing Experiences



Textension, do artista americano Josh Nimov, é uma série de dez tipologias interativas baseada na datilografia (sic). Mesma estrutura do papel, fundo branco e letras em preto, a idéia do pesquisador da Universidade da Califórnia é explorar metáforas e estéticas no design do PC, além da tradicional tipografia. O projeto não é novo, mas ajuda a pensar as páginas de notícias.
Cada uma das peças, explica, Nimov, contém um texto dinâmico no qual o leitor acrescenta caracteres, dá espaçamento a letras e brinca com a forma, entre outras interatividades. Basta baixar o aplicativo, digitar o número correspondente a uma das dez interfaces, aparece um cursor que o convida a digitar. Enquanto escreve, começa a se formar o conteúdo dinâmico. Detalhe, dá para fazer correções.
Antes de explorar, vale a pena assistir ao vídeo , capturado em Quicktime, e conhecer as possibilidades de participação.
LM

Anúncios

The New Media Index

O Pew Research Center’s Project for Excellence in Journalism anuncia o índice da nova mídia. Trata-se de um levantamento semanal dos principais assuntos noticiados em mais de 100 milhões de páginas – blogs, jornais digitais e redes sociais – nos últimos sete dias. Technorati, Icerocket e You Tube são os responsáveis pelo rastreamento de dados.
O New Media Index também compara temas da mídia off-line. A pesquisa de estréia mostra que o assunto que esteve na ordem do dia foi o presidente Obama. Já a economia ficou em quarto lugar na rede, e no papel ocupou a segunda posição.
meu comentário: interessante termômetro para entender o que acontece na web.

A dica é do blog do Sérgio Dávila.

LM

A aposta da Amazon

Reprodução O Globo
LM

Generations Online in 2009

A dica é de Raquel Recuero, no Facebook.

meu comentário: O Pew Internet é um excelente banco de pesquisas sobre comportamento, usuários, tendências e tudo o mais. Bom para adicionar ao Delicious.

LM

Como (não) fazer um projeto

Legenda
1 – como o cliente explicou (o projeto)
2 – como o responsável (pelo projeto) entendeu
3 – como o designer o estruturou
4 – como o programador escreveu a linguagem (técnica)
5 – como a assessoria de imprensa o vendeu
6 – como o projeto foi documentado
7 – qual é a infraestrutura (profissional, espaço e tecnologia)
8 – como o cliente foi informado sobre os avanços
9 – como o cliente recebeu suporte (tecnologia, infra e tal)
10 – o que o cliente realmente precisava

A pensar, e muito.

LM

Floating Utopias

Da Wired

“Several dozen conference-goers are filing into the Mendocino Room of the Embassy Suites Hotel in Burlingame, a San Francisco suburb, arming themselves with coffee and muffins as they shuffle to their seats. It’s the kind of scene that occurs daily—if not hourly—in the Bay Area, where techies and businesspeople forever squeeze into drab meeting rooms to discuss how they are going to change the world. But even by local standards, the attendees gathered here are chasing a dream so grand and exotic it makes the typical Internet confab look like an OSHA seminar. Anyone can build a game-changing social-network platform or a virtual community or a set of open APIs. But the people here want to start a nonmetaphorical revolution by creating their own independent nations. In the middle of the ocean. On prefab floating platforms.”

What do you think?

Íntegra

A pensar,

LM

Mozilla Art Platform

“Artzilla.org is dedicated to the development of experimental browser software. Artistic add-ons get rejected on common extension hosts (“useless art”). We collect and exhibit creative works, share code and tutorials (wiki.artzilla.org), and publish news from the scene. The artzilla.org Team is happy to see that more and more artists use add-ons as their media for artistic expression.”

Enjoy it

A dica é de Giselle Beiguelman, no Facebook

LM

Sérgio Amadeu faz balanço da Campus Party

IPTV Cultura destaca os melhores momentos do maior evento de tecnologia do mundo

LM

Quem usa o iPhone?

A dica é da Cristina De Luca

LM

Macintosh timeline

Infográfico (estático) da Wired conta os avanços do Macintosh com ilustrações bem interessantes. Bacana ver onde começou o projeto da Apple (1983) até o MacBook (2008)

A dica é do Paulo Frias, no Facebook

LM