Archive for abril \29\UTC 2009|Monthly archive page

See aqui, see ali, see acolá




Tudo bem que pode-se dizer que ainda é cedo para mudar uma cultura pautada na hierarquia mudar a forma de exibição de conteúdo na rede em formatos que provoquem agenciamento e não demanda de informação. Também dá para entender que o NY Times saiu na frente quando contratou um editor só para taggear seus textos e o colocou no mesmo nível do mancheteiro do jornal. Isso sem contar as experiências exaustivas de uso de redes sociais nas coberturas misturadas a depoimentos do cotidiano alheio. 
Mas o que não tem perdão a essa altura do jogo é ainda ter em conta que o sujeito precisa de setas e de indicações textuais para entender que há mais texto, mais foto, mais, mais, mais, mais a exemplo do site da revista de celebridades People.   O mundo mudou e os projetistas de rádio, tevê e jornais impressos não enchem os olhos do ouvinte, espectador e leitor com guias para ligar o dispositivo, mudar de estação ou de canal e explicações do tipo: vire a página ou vá até a página tal para ver todas as fotos publicadas evento xis. 
Será que é tão difícil orientar um sujeito sobre as práticas de navegação da cultura de rede? 
A pensar, 
LM
Anúncios

Os mapas da gripe Influenza A

Mapa coletivo de Influenza A

H1N1 Swine Flu My Map

2009 Swine Flu Outbreak Map
O IDG Now fez uma seleção de mapas da gripe Influenza A criados pelo Google Maps. Um dos destaques mais criativos é o mapa coletivo do Mexico que convida os usuários a colaborarem com informações sobre a doença
LM

Para pensar a composição

Fotos vão para o Flickr, vídeos ficam no You Tube, notas longas ganham espaço no blog, o Twitter destaca as curtas, o Delicious lista os bookmarks, e o Facebook puxa tudo e reorganiza. O publicador da web 2.0 é um agregador de várias fontes de conteúdo?


LM

Estranhas interfaces

Não vou traduzir a análise de Xaquín González Veiras, editor gráfico do NY Times,  no xocas.com, do especial do jornal espanhol El Mundo sobre os 100 dias de Barack Obama à frente da presidência dos EUA, pela simples razão de que a tradução iria atrapalhar a interessante visão das interfaces estranhas.

A pensar,
LM

Slideshow para inspirar

Muito bom o detalhe do slideshow do NY Times sobre patrulha de soldados americanos por causa de emboscada no Afeganistão

A pensar,
LM

Os jornais têm futuro?

Alan Rusbridger on the Future of Journalism from Carta on Vimeo.

Diretor do Guardian fala sobre o que virá pela frente para as empresas de comunicação. 
A pensar,
LM

O mapa do Facebook

Do TechCrunch

LM

UOL, 13 anos

Não precisa explicar, certo? Experimente

LM

2009 Symposium Presentations

Já estão na rede para download os power points das apresentações do Simpósio Internacional de Jornalismo realizado na Universidade do Texas, em Austin (EUA). Vale a pena baixar para o HD. O Brasil foi representado por Beth Saad (ECA/USP) e Marion Strecker (UOL).

LM

Mapa do open source

Quer saber a quantas anda o open source mundo afora? Agora você pode. Graças a pesquisas realizadas pelo Georgia Tech foi possível criar um índice e um mapa de atividades de uso de fonte aberta.

O índice mede 75 países baseado em um ranking que leva em conta políticas, ações e dados dos campos de governo (acordos para uso de software livre), indústria (número de usuários de OSS -Open Source Software -, registrados per capita e crescimento da internet) e comunidade (número de internautas per capita, apoio a softwares livres e aplicação dos códigos oferecidos pela Google).

A aferição vai de 1 (alto) a 75 (baixo) e a pesquisa pode ser feita por atividades e ambientes open source. Mesmo os países com baixo índice podem ter características favoráveis ao uso de programas como Linux, por exemplo, por registrarem alto número de usuários de internet e patentes de software.

Os dados são exibidos em um mapa mundi dinâmico que classifica os países de acordo com o resultado apresentado por cada um. Estados Unidos, Brasil, China e Austrália e alguns países da Europa, como França, Alemanha e Reino Unido, têm destaque em atividades open source.

A dica é do Blog do GJOL

LM