Archive for julho \30\UTC 2009|Monthly archive page

Manovich no FILE

Lev Manovich está no FILE, em São Paulo. O pesquisador russo participou o Symposium e do FILE Labo Workshop. Os eventos foram transmitidos ao vivo pelo Fórum da Cultura Digital. Quem perdeu a apresentação pode acessar o arquivo, disponível no mesmo link do real time.

LM

Taking sides

The Economist analisa fusão Microsoft + Yahoo!:

“USERS will probably not notice all that much. But the deal may be seen one day as a significant event in the internet industry. Microsoft and Yahoo!, the world’s biggest software firm and its leading online portal respectively, have reached a deal for a ten-year web search and advertising partnership after years of speculation about a tie-up. The combination, which was announced on Wednesday July 29th, is not as far-reaching as originally envisaged. But it is likely to create a serious rival to Google, the online giant that dominates both of these markets.” +

LM

Não dá mais para ignorar a internet

Tem razão Ben Self quando diz que “é difícil ganhar uma eleição twittando”. Self é um dos responsáveis pela estratégia da campanha de internet do presidente dos EUA, Barack Obama.

Em entrevista a O Estado de S.Paulo na segunda-feira, 27, o americano alertou políticos que pretendem embarcar na Obamania e elaborar projetos idênticos aos da campanha milionária vencedora do Cannes Lions 2009 a antes perceber o potencial de articulação na rede.

“Uma das sacadas da Blue State Digital foi pulverizar as doações por várias páginas de relacionamento na internet, que tinham em comum o apoio à campanha de Obama. As pessoas entravam na rede, doavam, articulavam eventos pró-campanha e ainda participavam de grupos de discussão sobre arrecadação. Milhões de dólares foram doados em questão de dias.”

Com essa ação, a empresa entendeu que as pessoas “adoram fazer esse tipo de conexão, mesmo que elas não se conheçam. E elas voltam para doar 3, 4, 5 dólares”.

Para isso, é preciso de um time de peso, e não é sem razão que Obama foi atrás de gente como Chris Hughes, fundador do Facebook, criou o cargo de Diretor de Novas Digitais, cujo comando está nas mãos de Macon Phillips, e mudou a visão de participação política na web e lançou uma nova forma de financiar campanhas.

Isso significa incluir na pauta do dia a internet como peça-chave dos projetos de comunicação política – não só em época de eleição, mas no dia-a-dia.

Obviamente que o investimento no espaço digital não foi definitivo para a vitória de Obama, mas, sem dúvida alguma, teve importância significativa. Sobretudo, porque a turma da Blue State inovou, ou melhor, concluiu que só faz sentido trabalhar na rede se puder conectar pessoas em torno de algo, mesmo que elas não se conheçam.

Dinamismo

A campanha presidencial de Obama ensinou que existe uma grande vantagem em ter um relacionamento dinâmico e uma estratégia online, mesmo em países onde a internet é menos acessível, como o Brasil. “É claro que a penetração em algum nível é necessária. É um investimento de tempo.”

É necessário compreender que trata-se de uma ferramenta indispensável para falar com eleitores e também motivá-los. Não basta usar a rede da moda, desordenadamente, correndo atrás de um rebanho que não se sabe aonde vai dar.

Para o dono da Blue State, há todo um conjunto de ações, como “criar um website dinâmico, que mobilize os eleitores e permita que eles façam parte da campanha. E tem de ter um mailling poderoso, que contenha milhares, milhões de pessoas nele. É provavelmente a peça mais importante de qualquer campanha online. É mais importante, de certa forma, que um bom website.”

Twitter

Sobre as redes sociais, Self avisa que é preciso elaborar uma estratégia. Há um papel em cada uma delas, mas não são mais importantes que o site, o e-mail.

É uma ferramenta, mas é muito difícil ganhar a eleição twittando. É preciso motivar as pessoas, isso ajuda a ganhar eleição. Isso significa falar com os eleitores, amigos, doar dinheiro. Se você tem um website que fala de você e no qual os seus apoiadores opinam, mas que não motiva seus eleitores para nenhuma ação, você não vai a lugar nenhum.”

Portanto, de nada adianta estrategistas brasileiros copiarem literalmente o projeto da Blue State sem que haja um estudo aprofundado do que pode ou não ser feito por aqui. Não se pode esquecer que ainda que o Brasil seja campeão no uso de internet (em horas), as questões de alteridade são fundamentais para obter um resultado positivo.

Ou seja, cada vez mais, o trabalho imaterial e o capital humano farão a diferença nas campanhas de 2010. Isso significa que não há mais tempo a perder com o marketing off-line praticado pelos “curandeiros de internet”, pois na rede ele se dissolve rapidamente.

A pensar,

LM

As Geo Tags de O Globo

Pegando carona no geotagging, O Globo digital convida os leitores a marcar em um mapa (do Google, of course) problemas de infraestrutura e prestação de serviços de internautas cariocas.

Até agora, foram apontados: buraco, falta de saneamento, alagamento, rua sem asfalto, lixo e vazamento.

meu comentário: excelente iniciativa, sobretudo porque, cada vez mais, a composição na rede é pautada por marcadores, que vão dar o tom do design informacional daqui para a frente.
A pensar,
LM

Suite 4 Mobile Tags no FILE SP

Imperdível:
Suite 4 Mobile Tags propõe um exercício de composição musical coletiva, anônima e instável. Baixe um leitor de QR-Code e venha tocar. Caso seu celular não seja adequado, temos alguns aparelhos disponíveis para emprestar. + info, tools, video, ringtones, pixs: http://www.qartcode.net/.

Um projeto de Giselle Beiguelman e Mauricio Fleury. Em curtíssima temporada em SP. FILE, Galeria do SESI, piso inferior, 27 a 31/7.

LM

Mario García para download

Imperdível. Da série Tem de baixar no seu HD. Mario García compartilhou na rede as primeiras 33 páginas de Pure Design. Dá para enviar a amigos, replicar nas redes sociais ou arquivar no computador.

LM

"Think text first"

A dica é do papa Mario García:

TAKEAWAY: “Typographically speaking, nothing is more important than text, which constitutes about 75% of what one will see in a contemporary newspaper or magazine. Legibility is key here, especially when catering to audiences which may include older readers. Our Pure Design installment today tells you how to make good text type choices. ” +

LM

Conheça os finalistas do Anima Mundi Web

O maior festival de animação do mundo termina domingo, 26, mas ainda dá para votar no melhor da categoria Web. A lista dos 20 finalistas está liberada para voto popular. No destaque, Deu a louca no Português, uma sátira ao novo acordo ortográfico.

LM

Vídeo ensina jornalistas a usar Google Maps

LM

Começou o 17ª Anima Mundi

Depois de uma rodada no Rio, o maior festival de animação mundial acontece em São Paulo até o dia 26 de julho, no Memorial da América Latina e no CCBB. Anote a programação .
LMvar keywords = “”;