Archive for junho \30\UTC 2010|Monthly archive page

Uma teoria de redes


Chega às livrarias, no próximo dia 13, Linkania, uma teoria de redes (Editora Senac), de Hernani Dimantas. A orelha é assinada por Ricardo Kobashi e Drica Guzzi:


“Há pouco mais de duas décadas, ainda era comum enviar cartas, comprar selos. Jornais em papel sujavam nossos dedos pela manhã e eram nossa principal fonte de informação. Havia filas intermináveis nos bancos. Matar a saudade do amigo que morava longe era caro, raro e para poucos. Nossas relações eram determinadas pelo tempo e pela distância. Trabalhar, estudar e consumir exigiam deslocamento. Os ciclos eram de horas e dias, e a distância era medida em quilômetros. “Um minuto…” expressava, de fato, rapidez. Há pouco mais de duas décadas estávamos todos um pouco mais distantes uns dos outros.


No auge do individualismo, da busca incessante pelo lucro bem representada pela geração dos yuppies de Wall Street, quando a história e as utopias pareciam ter acabado, uma revolução começava silenciosamente e a tecnologia que a viabilizaria ganhava o mundo, encurtando distâncias, agrupando pessoas e dando voz às suas idéias.


Em “Linkania, Uma teoria de Redes”, Hernani Dimantas explora esse mundo, onde as distâncias encurtaram, o tempo ganhou novo significado e a sociedade, agora hiperconectada, foi obrigada a rever suas estruturas culturais e produtivas. Com pinceladas fortes e cores marcantes, Dimantas constrói um universo teórico de como nos movimentamos e nos motivamos na rede. Cria, inventa, põe luz, oferece novos termos e conceitos. Palavras novas são apresentadas e outras tais como: colaboração, rede, reciclagem, dobras e multidões têm seu significado revisto, remixado para poder explicar uma realidade que teima em mudar mais rápido que nossa capacidade de descrevê- la.


Cientes ou não da mudança, protagonizamos a revolução silenciosa onde os líderes são tão numerosos quanto seus seguidores, cada troca de mensagens determina sozinha o seu caminho pela rede e cada lugar é o que dele se faz.”


serviço
13 de julho
19h/21h30
Livraria Cultura – Conjunto Nacional
Avenida Paulista, 2.073
São Paulo/SP




Anúncios

Social Media Era Set to Peak in 2012






Do ReadWriteWeb:


Social media is going to rule the Web until at least 2012 – according to a post by Justin Kistner, a Social Evangelist at web analytics company Webtrends. Kistner also claims that Facebook has become the king of social media. In a panel at a Portland event today called Lunch 2.0, Kistner said that the current era of the Web “is Facebook’s game to lose.”




Data from Google Trends suggests that the term ‘web 2.0’ became popular in 2005 and peaked in mid-2007 (as measured by how many times the term was entered as a search term in Google). Towards the end of 2008 ‘social media’ started to get popular and then rose steeply in 2009.
If the above chart is to be believed, social media overtook web 2.0 in popularity at the end of 2009. I’m inclined to trust this data, as it matches other data sources we have reported on in ReadWriteWeb over the past couple of years – for example a Nielsen Online report from March 2009 stating that people spent more time in 2008 using social media than on personal email.
The ‘news references’ chart (the secondary chart below the main one) is also interesting. It shows that over 2009 news media organizations used the term ‘social media’ far more than ‘web 2.0.’ Partly that’s because ‘web 2.0’ has always been an awkward term for anyone outside the tech world to understand (“You mean there were two Webs?”). But it undeniably also shows that the term ‘social media’ began to be bandied about in news media a lot in 2009. And not coincidentally, that’s when Facebook and Twitter became very popular in the mainstream.
Nowadays, it’s hard to walk anywhere in a metropolitan center without seeing the logos of both Facebook and Twitter. Last week I was in New York and snapped a photo of a local eatery promoting its Twitter account at the counter.
OK, this was New York. But I am seeing both Facebook and Twitter being increasingly used by a wide variety of businesses – online, on TV and in the real world.
The rise of social media is impacting many industries, including news media itself. Kistner points to a Hitwise study which showed that Facebook is sending more traffic to news sites than Google. This isn’t necessarily true for all news sites (Google is still ReadWriteWeb’s biggest traffic source, for instance), but Facebook and Twitter have become significant drivers of traffic for most news organizations.
I’m inclined to agree with Kistner that there is at least another year or two of growth in social media adoption, so 2012 sounds like a good bet for social media to peak.
What do you think, will 2012 be the peak for social media? Or will the Social Media Era last for even longer than the Web 2.0 one?

The internet: Everything you ever need to know

Do Guardian:

In spite of all the answers the internet has given us, its full potential to transform our lives remains the great unknown. Here are the nine key steps to understanding the most powerful tool of our age – and where it’s taking us.

The iPhone Era

Para quem perdeu o ONA Brasil

Já está na rede para download artigo que passa a limpo o ONA Brasil, realizado na Faculdade Cásper Líbero em maio passado. O texto foi publicado na revista Comtempo, revista da Pós-Graduação da Cásper.






‘Link’ em 3D nesta segunda-feira


Do Link:


Na segunda-feira, 28, o Link chega aos leitores do Estado com uma edição especial 3D.
Junto do caderno, o jornal trará óculos encartados para ver as imagens das reportagens. Todas elas, além dos anúncios em todos os caderno do Estado, passaram por tratamento especial para reproduzir o efeito. Uma iniciativa parecida já havia sido feita em 1999, quando os anúncios do jornal circularam com um tratamento de imagem semelhante, mas é a primeira vez que o Estado utiliza o recurso em reportagens, em imagens e infográficos.
A onda do 3D, que já teve muitas fases no cinema e na fotografia, voltou à cena nos últimos três anos com o lançamento de filmes e animações 3D e com surgimento de televisores que reproduzem imagens em três dimensões, além de games para computador que começam a usar o efeito.
Mas a edição especial do Link desta segunda vai além disso, e mostra como a tecnologia pode transformar até a maneira que reconstruímos o passado e que projetamos futuro da humanidade.

ROI em mídias sociais

A World Without Social Media: A World More Social?

Fazer rede, com humor

Muito divertida a animação do IS Parade. Usei na última quinta-feira, 16, no 1º Benchmarking da Sabesp, para dimensionar a ideia de fazer rede, de conectar uma marca no Twitter. 


Bastar inserir um nome de login ou tag para o IS Parade buscar na base de dados do microblog e montar uma interface dinâmica, semelhante à de um desfile. 

Rede social para consolidar marca


http://d1.scribdassets.com/ScribdViewer.swf?document_id=33289852&access_key=key-20sia1fibdtho5dmdcs7&page=1&viewMode=slideshow