Archive for the ‘Gilles Deleuze’ Category

Minoria que faz diferença

O percentual de uso de Twitter nos EUA pode parecer pouco, mas se avaliado do ponto de vista deleuziano (a minoria que faz a diferença), é algo a ser considerado.

http://d1.scribdassets.com/ScribdViewer.swf?document_id=45090258&access_key=key-fv3r8s441ks5sm59fh7&page=1&viewMode=list

"É a estrutura, imbecil"

Parafreaseando James Carville, marqueteiro de Bill Clinton, na campanha de 1992, sobre o que é fundamental em eleição e política [“It’s the economy, stupid!”], o artigo Écrire pour le web: c’est la structure, imbécile!, da owni.fr Digital Journalism, discute a estrutura do texto na web. 


Tendo como aporte ideias estruturalistas, ainda que recheadas de links e com bibliografia antiga, o texto aborda questões pertinentes do jornalismo. 


Obviamente não é possível reverter a pirâmide invertida. Mas falta ir a fundo em algo que passa ao largo de discussões como essa: o input de dados. 


O input é feito no espaço de fluxo informacional onde necessariamente a interface não é moldada a partir da pirâmide invertida. Prova disso é a dinâmica de redes sociais como o Twitter, por exemplo, ou a série de testes que vem sendo feito pela Google.


Trata-se, portanto, de ter em mente que a rede coloca a notícia em uma nova perspectiva, explicada pela noção de revezamento de Gilles Deleuze, na série Mil Platôs. Em linhas gerais, a construção é, ao mesmo tempo. estrutural e não estrutural, compõe e se decompõe. 



http://d1.scribdassets.com/ScribdViewer.swf?document_id=40287841&access_key=key-277c7a0hpvblruxe3013&page=1&viewMode=list

Air traffic rebooted in northern Europe

Airspace Rebooted from ItoWorld on Vimeo.

(via Adriano Ribeiro, no Twitter)

O vulcão islandês e o espaço estriado deleuziano

A matéria Parte do espaço aéreo na Europa é reaberto, exibida nesta terça, 20, no Jornal Nacional, sobre a volta para casa após o enfraquecimento da emissão de cinzas pelo vulcão islandês Eyjafjallajokull, dá a dimensão exata do conceito deleuziano de espaço liso (aberto, nômade) e estriado (metrificado, com fronteiras delimitadas).